oficinas literárias no Barba Ruiva (SC)

agosto

em Joinville (SC), uma parceria bonita da livraria Barba Ruiva, do Salvador Vegan Café e eu, Katherine.

teremos oficinas de:
– fanzine
– criação literária
– estudo de livros para os vestibulares da UFSC, Udesc e Acafe

num ambiente onde o som de vinil e os aromas de café e outras delícias tornam a vida mais gostosa!
saiba mais: http://oficinasnobarba.tumblr.com

Sonhos tatuados em pele de concreto – resenha de Sérgio Tavares, do blog A Nova Crítica, para “Compra-se sonho”

De todas as porções de delicadeza que constituem Compra-se sonho, de Katherine Funke, há uma secreta, que deveria caber unicamente ao resenhista e à escritora, mas que tomo a liberdade de torná-la … [continua]

Leia a resenha completa: Sonhos tatuados em pele de concreto

Lucida Sans [trecho]

um melancólico, quando vê um dia rosa e claro,
escuta a consciência de um jeito tão absurdo e raro
que faz versos quase simbolistas, musicais e alucinados…

“onde os tons de rosa… os tons de rosa… ”
rosa, agora rosa, agora rosa, agora rosa, agora
é tão raro o rosa aqui
que leva ao blues,

atravessado, travessia,
ela sabe desse azul e mesmo assim

chega tarde ou cedo demais

no melhor e pior dia de sua vida

todo este céu rosa,
e nenhum agora possível

trecho de Lucida Sans

#30 dias pela Barca dos Livros! — A melhor biblioteca comunitária do Brasil

30 dias para mobilizarmos recursos e honrar o pagamento da dívida acumulada de aluguel (desde maio de 2015, a prefeitura não renovou convênio com a Barca). Contribua com nosso crowdfunding e compartilhe com os amigos esta notícia: com o maior acervo infanto-juvenil de Santa Catarina, tendo atendido mais de 150 mil pessoas e realizado mais […]

via #30 dias pela Barca dos Livros! — A melhor biblioteca comunitária do Brasil

radioarte::: sexta, 3/6, na Ocupação Coaty

tumblr_o82ik4SvfL1v6ziuxo1_1280

CONVITE / / / evento de performance multimídia em que, sob curadoria de Edbras Brasil, participam vozes, músicas e imagens de alguns artistas, entre eles Laura Castro, João Meirelles, Katherine Funke e MAURICIO TAKARA (SP).

Na radioarte, Katherine Funke lê trechos do conto Compra-se sonho (editora Músculo). O livro é uma das obras integrantes da Ocupação Coaty, ocupação artística que também abriga a performance Low-Fi .

Sexta (03/06) | 17h
RADIOARTE – E:dB, João Meirelles, Laura Castro e Katherine Funke.
MAURICIO TAKARA (SP) + videomapping de Caetano Britto

Sábado (04/06) | 17h
LOOPING: BAHIA OVERDUB
OPERAZUADA: Washington Drummond e Colégio de Orfãos.

Tudo isso com acesso livre,
a partir das 17h,
na “Ocupação Coaty”.
Ladeira da Misericórdia,
atrás da prefeitura. Salvador, BA.

+ info: https://www.facebook.com/events/716730555135092/‪

“o recomeço. o recomeço. o recomeço.”

IMG_0814

A rotina, a meta, o tino literário partem todos do mesmo ponto: o jorro. Já fui menos torta nesse sentido. Acordava cedo. Yoga, meditação, e abria o caderno. Funcionava. Manhãs inteiras. Tardes inteiras. Sem pressa. Agora, mudou. Não é sempre assim o tino, a yoga. A rotina. Faz dois anos, escrever é um ato de sobrevivência e fé (e persistência e café) – depois que o filho dormiu. Direto ao ponto: aproveitar o tempo. Mais pressa. Obrigada. Passei dos trinta. Entortei de vez. É mais simples. Vivo. Vou vivendo.  Então descubro as frases que quero, as histórias que me fascinam.  Tino. Faz parte de mim, desde sempre. A meta. Minha infância: mandíbulas contraídas, fio de suor escorrendo pela testa, pescoço duro. “Tomara que ninguém note”, minha mente ordena, “anote.” Desde sempre. “Grave. Retenha. Memorize.” Obedeço. Agradeço. Solitária, ali, eu e a testa, a perna, a mão, o suor, a respiração paralisada para não perder nada de uma conversa alheia. Inventada. Ah, minha rotina: uma eterna dúvida alucinada. Mas, sei lá. O escritor é sempre um enigma. Se eu contar tudo em dois mil toques, estraga. Vou tentar. Vou inventar uma resposta. É assim: sento no banco da praça e deliro. Preencho cadernos, piro. Fácil. Saco meus óculos escuros e decido: é agora. Yoga. Cerveja. Coragem. Caneta. Cadê a caneta? Um lápis. Ah. A dúvida, o delírio, o dia seguinte, o sono do filho, o recomeço. O recomeço. O recomeço.

– Katherine Funke para o blog 2 mil toques  / dez.2014 / reblogando

foto: Katherine Funke / Joinville, abril 2016.