poeminhas de um brasilzão [work in progress]

existe poesia para o absurdo?
pois o absurdo dos absurdos é que existe.
e existe o absurdo de existir
um porque, neste mesmo mundo,
a existência do absurdo da poesia
[porque estou lendo Beckett, “Textos para nada”]
*
primeiro choque
a lama se revolvendo rio choro os pescadores choram o rio revolvido pela lama, a alma engana, não eram predadores apenas, queriam

(…)
– mamãe, eu quero brincar com você

Anúncios

Autor: katherinefunke

http://twitter.com/micronotas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s