sete perguntas para bruno marcello

Bruno é dos artistas contemporâneos de Salvador que mais admiro: produtivo, criativo, linguagem própria, universo abrangente. Faz super heróis, garotas sensuais, meninas melancólicas, cenas urbanas. Trabalha inteligentemente com a cabeça, as mãos e o auxílio do computador. Veja o flickr dele: http://www.flickr.com/photos/bua/

inspirado nos cafés de Buenos Aires

Ô Bruno: para quem, no mundo da ilustração, você tira o chapéu?

Tem tanta gente boa, não consigo dizer um nome só. Tem os artistas mais próximos, amigos dos quais acabo tendo um contato maior com a obra, e alguns que conheci o trabalho através da internet e estou sempre acompanhando.

Explica o seu desenho. Como é que funciona? Você já sabe o que vai pintar quando começa?
Geralmente penso bastante no tema, na composição, na posição do personagem, nas roupas, no cenário e nos elementos. Rabisco um pouco antes em outros papéis para então partir pro desenho pra valer. Algumas vezes só quero fazer um desenho rápido, então é menos elaborado.

E suas técnicas: o que é que você faz à mão e o que há de digital em cada uma delas?

À mão tem o lapis, caneta esferografica, nankin, aquarela e acrilica. Depois do desenho feito parto para o computador, onde pinto o desenho, e adiciono algumas imagens para criar textura, bem sutis, sem interferir no traço.

Qual sua principal meta como artista?

Viver, ter condições de viver só de minha arte, e assim poder me dedicar mais, de experimentar e criar mais. Expor em outras cidades, conhecer um pouco a arte de outros lugares, é importante estar sempre vendo coisas novas, sempre aparece algo para adicionarmos a obra.

O que você pensa do processo de crescimento – com esses novos condomínios da Avenida Paralela, espigões da orla e shopping centers por toda parte (e panfletos e outdoors e murais publicitários) – da cidade de Salvador?

Quando vejo fotos de Salvador há 50 anos, vejo o quanto era linda. Hoje em dia ela é feia, mal planejada, mal administrada e só piora. Condomínio na Paralela é um erro… uma das poucas coisas bonitas daqui esta sendo destruída. Só falta mesmo essa via exclusiva de ônibus no meio da Paralela. Espigões na orla é outro erro grotesco, tampão à vista, bloqueia a brisa do mar, será que so os ricos tem direito de ver o mar de casa? O mal dos shoppinps é que perde o charme que são lojas de ruas, as pessoas só querem comprar em shoppings. Outro erro grotesco é a desapropiação da orla da Cidade Baixa, eles querem é mais terreno para “vender” para as construtoras. O que é pra ser feito não é, como terminar o metrõ, construção de vias expressas, duplicação de pistas em areas como a avenida San Martins. Quanto à propaganda, ainda acho que esta num nível tolerável. Mas mais que isso já começa a poluir.

Você já fez alguma intervenção de protesto na cidade? Qual?

Distribuí cartazes contra a desapropiação da Cidade Baixa.

Se fosse viajar amanhã, para voltar daqui a uma semana, colocaria o que na mochila?

Estojo de material artístico, bloco de desenhos, uma máquina fotográfica, trabalhos impressos e alguma roupa.

Anúncios

Autor: katherinefunke

http://twitter.com/micronotas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s