tome notas: conselho de uma revista seleções de 1943

“Lemos demais, lemos abundantemente, mas sem parar para absorver o material lido, sem meditar sobre as páginas que acabamos de examinar, sem procurar relacionar a literatura com a nossa própria vida, com a nossas próprias observações e conhecimento do assunto.

Não fazemos pausas suficientes, nem de duração bastante, de modo a gravar no espírito as impressões da leitura.

Bem disse Carlyle: ´Devemos de vez em quando parar um pouco, para colocar etiquetas nos nossos pensamentos´. Uma ou duas horas que dedicamos regularmente a esse mister se tornarão logo horas de grande prazer.

* (…)

Devemos examinar com cuidado a relação entre leitura e meditação. É universalmente conhecida a célebre frase de Thomas Hobbes: ´Se eu tivesse lido tanto quanto certos homens, saberia tão pouco quanto eles. Outro escritor [nota minha, kf – foi Schopenhauer] observou que aprender a pensar por meio da leitura é a mesma cousa que procurar aprender a desenhar decalcando, com papel fino, de outros desenhos já feitos…

Demócrito, o filósofo grego que viveu pelo ano 300 A.C. , chegou ao extremo de cobrir os olhos, afim de que, lendo menos, pudesse refletir melhor.

Por outro lado, a maioria dos grandes pensadores foram leitores onívoros; liam de tudo, mas sabiam ler, isto é, liam dando um pouco de corda ao espírito (…) ”

TOME NOTAS
( Transcrito do “Rotarian”, Robert R. Updegraff
revista Seleções, maio 1943

Anúncios

Autor: katherinefunke

http://twitter.com/micronotas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s