(( k_f)) minha vizinha escreve sobre a paz

A vida nos surpreende com esses presentes chamados vizinhos. Ontem mesmo recebemos a visita do casal que habita ao lado, junto com um convite de passar uma noite no barco deles, no meio do mar. Mas vou falar da moradora de outra casa próxima. Marlene Nolasco mora bem aqui em frente. Tem uma família muito legal. Seu Fábio, o marido, sempre está bem disposto e possui conhecimento da filosofia da vida. Dona Marlene também tem sempre um sorriso no rosto e é sempre querida. Dia desses, caminhamos juntas do ponto de ônibus até nossas casas, e ela veio me sugerindo reportagens e, de repente, dizendo que ela mesma escrevia poesias, e tal. Até recitou um pedacinho de uma – mas só a primeira estrofe. Vários e vários dias depois, quando ela fez aniversário e comemorou com os filhos e netos, recebi junto com um pote de caldinho de sururu essa poesia dela sobre a paz. Aqui transcrevo, em homenagem a ela e a todas as vizinhas queridas que existem.

PAZ…

Se a paz que procuro
estiver nas asas
dessa brisa gostosa
de final de verão,
serei esta brisa
para acariciar a paz!

Se na cristalina água
deste imenso oceano
no meio das ondas
estiver esta paz,
serei aquele barco,
passando lá fora,
sentindo de perto
o frescor desta paz!

Se no aroma das flores
das matas e das florestas
sentir o perfume da paz,
serei aquele pássaro,
de asas abertas
num vôo maior
em busca da paz…

(Marlene Nolasco)

Anúncios

Autor: katherinefunke

http://twitter.com/micronotas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s