(( k_f)) diálogo louco que não aconteceu

– Acredita em mim?
– Nem um pouco. [gargalhadas]
– Mas é verdade.
– Ahã.
– Eu vi.
– Ahã.
– Vi mesmo!
– Então, me explica como era.
– Grande. Muito grande.
– Que mais? Fala… que suspense.
– Tudo bem. Eu falo. Mas primeiro, você tem que prometer acreditar e mim.
– Prometo.
– Mesmo?
– [gargalhadas]
– Porra.
– Conta logo!
– Tá… Era grande. Uma das maiores ondas que eu já peguei. Quando estava lá em cima, a onda virou um pé de jaca e o mar se transformou numa das florestas mais belas que já conheci. A árvore começou a balançar com o vento e eu me transformei no avião que passava bem alto. Podia sentir as nuvens brincando com o metal das asas, acariciando com dedos gelados os vidros das janelas. O sol bateu nos meus olhos e virei pássaro, e pousei aqui. Bebi um pouco de água da relva e ela me fez formiga. Quando você chegou, voltei a mim.
– Isso explica a roupa de surfista. Mas, se isso é verdade, onde está sua prancha?
– Olhe para baixo.
– Meu Deus! Estou pisando nela. Como isso foi acontecer?
– É que agora é sua vez de pegar essa onda.
– Tá brincando…
– Sério. Fecha o olho, que eu te levo para onde você quiser.
– Ha, entendi. Quero ir para o paraíso!
– Boba. Não vale. Tem de ser um lugar específico. Onde role onda.
– Tá. Quero ir para o Hawaii, por favor.
– Boba. Não vale. Outro.
– Por que, não vale?
– Ondas grandes demais para você. Iriam matá-la. Além disso, já está crowdeado.
– Porra… nem pensei nisso.
– Tem que ser outro lugar. Ondas mais calminhas. Menos gente. Céu azul o ano inteiro. Lua cheia enorme. Bahia, por exemplo.
– Ah, tá. Entendi. Quero ir para a Estrela do Mar, por favor!
– O.K.!
– Uhú.
– Conte-me o que está acontecendo!
– Cara, o mar está muito lindo hoje. Solzão, praia quase vazia, sete e meia da manhã. Peço bênção por precaução e reverência, e depois de algum tempo com água pelos joelhos, entro nela definitivamente. Vou pegar um jacaré agora… Vou lá! (pausa) Cara! Eu estava em cima da onda e no segundo seguinte a onda tinha virado um tapete voador e sobrevoamos, em velocidade da luz, toda a superfície terrestre. A Terra é linda do alto, toda azul e branca, um planeta onde mora a paz. Por entre as nuvens me transformei em chuva e desaguei sobre o rio Joanes. Você abriu a torneira e me bebeu. Então, voltei a mim.

Anúncios

Autor: katherinefunke

http://twitter.com/micronotas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s